ANC e Angus selecionam corpo técnico para atuação no Brasil Central

O avanço da genética Angus nos rebanhos do Brasil Central tem influenciado a expansão do corpo técnico que atua nessa região. Pensando nisso, a Associação Brasileira de Angus e a Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC) selecionaram, em conjunto, quatro novos inspetores técnicos para compor o time de 24 profissionais espalhados em todo o país. A oficialização dos novos integrantes foi dada nesta quinta-feira (25/03) durante o treinamento realizado pela superintendente de Registro da ANC, Silvia Freitas. Os iniciantes Kelssen Elias Pereira, Maurício Batista de Lima Taveira, Pedro Salermo Casas e Rodolfo Xavier Dal Olmo serão responsáveis por propriedades no Mato Grosso, Goiás, Pará, Minas Gerais e São Paulo.

A necessidade de ampliar o número de técnicos anda ao lado do crescimento mercadológico na pecuária de corte. Em 2020, o número de animais registrados pela ANC cresceu 39% em relação ao último levantamento. “Esse aumento contém bastante representatividade entre os rebanhos Angus, que cada vez mais têm conquistado o apreço dos criadores em todo o país. Com isso, percebemos a necessidade de ampliar o nosso time, principalmente no Brasil Central”, explica Silvia.

Para o gerente de Fomento da Angus, Mateus Pivato, os novos técnicos chegam em um momento oportuno e vão auxiliar a suprir demandas dos criadores da região. “Os técnicos possuem um papel fundamental para os pecuaristas e são os representantes da Angus e da ANC dentro de cada propriedade. Por meio deles, mantemos nosso contato aquecido com os criadores, ajudando no registro, manejo, seleção de carne e em diversas outras atividades”, destaca.

Em fase de transição, os profissionais estão ansiosos para iniciar as novas tarefas. Aos 31 anos, Pereira é médico veterinário e confessa que ficou muito satisfeito em ser selecionado para o corpo técnico. Natural de Formiga (MG), o inspetor irá atuar no Mato Grosso e tem como meta fomentar ainda mais o uso da genética Angus. “A raça vem crescendo e agregando valor nos rebanhos brasileiros e até mesmo entre os consumidores. Com o aumento da equipe técnica, fica mais fácil levar informações e fomentar o seu uso nas diversas regiões do Brasil”, reforça. Segundo Taveira, 28 anos, o ingresso como inspetor técnico é a oportunidade perfeita para adquirir conhecimento sobre a raça Angus. O médico veterinário irá atuar na divisa de São Paulo, Minas Gerais e Goiás e pretende expandir o suporte aos criadores da região.  

Outro profissional que está contente em fazer parte do time Angus é Casas, 28 anos. Formado em Medicina Veterinária, o técnico irá atuar no Vale do Araguaia (MT). Com experiência em inseminação artificial, o inspetor enxerga potencial na raça, principalmente no valor agregado ao produto quando utilizado o sêmen Angus em matrizes Nelore. “Esperamos expandir cada vez mais a utilização da Angus nas técnicas reprodutivas, mostrando não só a qualidade dos animais aos produtores, mas também ao mercado consumidor”, pontua.

Nascido e criado em fazenda, Dal Olmo possui uma ligação antiga com a pecuária. A primeira formação como Técnico em Agropecuária firmou sua vontade em seguir nesse ramo. Aos 33 anos, o profissional é hoje médico veterinário e irá atuar como inspetor técnico em Goiás. “É muito importante fazer parte de um time tão qualificado como o da Angus. Além disso, esse trabalho unificado com a ANC facilita a comunicação tanto para criadores como para os técnicos que estão no campo”, frisa.


Crédito: Carolina Jardine

Voltar